Stephen King

No exercício do dever  - Nunca há qualquer razão

Nunca há qualquer razão

Não sabemos quanto tempo nos resta - Não sabemos quanto tempo

Não sabemos quanto tempo

Inventamos horrores fictícios para nos ajudarem a suportar os reais. - Inventamos horrores fictícios

Inventamos horrores fictícios

Estendemos o tempo como podemos mas no fim o mundo leva tudo de volta. - Estendemos o tempo como podemos

Estendemos o tempo como podemos

Escrever não é vida  - Escrever não é vida, mas acho que pode ser um caminho de volta à vida

Escrever não é vida, mas acho que pode ser um caminho de volta à vida

melhor ser bom que mau  - É melhor ser bom que mau

É melhor ser bom que mau

As coisas mais importantes são as mais difíceis de dizer daqui - As coisas mais importantes

As coisas mais importantes

Aqueles que não aprendem com o passado  - Aqueles que não aprendem com o passado estão condenados a repeti-lo

Aqueles que não aprendem com o passado estão condenados a repeti-lo

Aquele que não consegue compartilhar  - Aquele que não consegue

Aquele que não consegue

A confiança do ingênuo  - A confiança do ingênuo é a arma mais útil do mentiroso

A confiança do ingênuo é a arma mais útil do mentiroso